Translate

quarta-feira, 9 de março de 2022

Três novas peças descobertas e uma peça que é um "capricho"

 Nessa postagem vou mostrar dois paliteiros descobertos pelos amigos do antiquário Versieux Arts e duas peças do amigo Thiago Zanette, uma pequena travessa e um Olho da Rainha bem diferente.

Iniciando com os paliteiros.


O primeiro é o Paliteiro Coroa, e até o momento o fabricante é desconhecido.



O segundo foi fabricado pela Esberard Rio e é chamado de Paliteiro Folha.



O interessante no Paliteiro Folha é que ele apresenta duas marcações na base, o número "836":

E a letra "E" de Esberard dentro de um losango:


Daí você pergunta como sabemos que essa letra "E" é de Esberard, principalmente que, até onde sabemos, a Esberard gravava o nome "Esberard Rio" em suas peças, e não uma letra dentro de um losango.

Acontece que no catálogo da Esberard, apesar da imagem não estar tão perfeita, aparece um paliteiro cujo formato parece ser de folhas e onde a numeração de identificação é exatamente 836:



Como a peça é muito pequena, é impossível marcar "Esberard Rio", por isso foi marcado apenas a letra "E".

Agora sabemos que peças com um "E" dentro de um losango, foram feitas pela Esberard Rio.


A primeira peça do Thiago Zanette é uma travessa oval também da Esberard Rio, e recebeu o nome de Bloquinho:




Essa Bloquinho possui a marca Esberard Rio gravada:


E também aparece no catálogo da Esberard, inclusive na mesma página que o Paliteiro Folha:


A segunda peça do Thiago, é o que em inglês é chamado de Whimsy, algo que em português pode ser entendido como um capricho que foi dado a uma peça mais comum.

Na nossa peça, tudo começa com um copo Olho da Rainha que é, de certa forma, mais fácil de ser encontrado:



Então, o vidreiro resolve modificar alguma característica do copo, dar um "capricho" no seu formato. 

No nosso caso, o copo foi transformado em uma cesta:



Esses caprichos não são muito usuais, o que faz com que tenham um certo status de raridades, e serem muito desejadas por colecionadores.

Aqui, deixo meus agradecimentos aos amigos, Thiago Zanette (@thiago_zanette) e Versieux Arts (@versieux.arts) pelas descobertas e por permitirem que eu as mostrassem aqui no blog.

Não esquecendo que as imagens de catálogo são usadas com permissão do amigo Clovis Bezerra. 

quarta-feira, 15 de dezembro de 2021

Porta manteiga/geléia Tila da Esberard Rio

 Meu amigo de Juiz de Fora, Hugo Costa Penna, me mandou umas fotos de um porta manteiga/geleia em Carnival Glass que pertencia a sua mãe Maria Cecília.


Qual não foi minha surpresa quando fazendo uma pesquisa no catálogo da Esberard Rio descobri o porta manteiga/geleia.


Precisávamos dar um nome para a peça, como a mãe do Hugo é conhecida como Tila, nada melhor do que homenageá-la.

Portanto, apresento o porta manteiga/geleia Tila, da Companhia Fábrica de Vidros e Crystaes do Brasil, Esberard Rio.



Possui 5,5 cm de diâmetro.
Sabe aqueles potinhos, usados antigamente em hotéis e restaurantes para servir manteiga ou geleia?
Tila é um desses potes.
Hugo diz que a mãe dele foi colecionadora e comprou essa peça na década de 1960.



Fico muito feliz que após alguns anos colecionando Carnival Glass ainda encontramos peças que não estão catalogadas.
Muito obrigado Hugo e Maria Cecília por nos presentear com o porta manteiga/geleia Tila!


quarta-feira, 13 de outubro de 2021

Nova peça Carnival Glass da Esberard Rio

 Quando Thiago Zanette me enviou o print da página de um leilão com o anúncio desse trio, em um primeiro momento eu imaginei que eram peças no padrão Lacinho.



Mas eu nunca vi peças Lacinho com pés e com alça, e isso ficou martelando minha cabeça por um tempo, até que resolvi dar uma procurada nas páginas do catálogo da Esberard Rio, e eis que:


Lá estava ela no meio de outras peças conhecidas!

Uma petisqueira, ou como alguns preferem, prato para descartar cascas, bagaços e sementes de frutas servidas após as refeições.

E não é padrão Lacinho, é um padrão novo.

Thiago Zanette me enviou outras fotos onde é possível ver melhor os detalhes da decoração.





A marca Esberard Rio está gravadas nas peças.


O padrão ainda não possui nome.

Caso alguém queira sugerir algum nome que combine com a peça, me envie uma mensagem @claudiodeveikis




quarta-feira, 30 de dezembro de 2020

Para fechar 2020, a coleção de uralina de Hélcio e Beatriz

 

No final de setembro recebi um e-mail de uma leitora do Blog, Bruna Saraiva, de Belo Horizonte, pedindo ajuda na identificação de uma manteigueira carnival glass.

Ela me disse que quem colecionava peças fogo era seu sogro, Hélcio, de Brumadinho, e ela ajudava ele com identificações.

A partir desse dia, surgiu uma grande amizade entre eu, Bruna, Hélcio e Beatriz, esposa de Hélcio.

Fizemos, vídeo chamada, o Hélcio e eu estamos sempre nos falando por telefone, converso com a Bruna praticamente todos os dias, e não é só sobre coleções de vidro, conversamos sobre nossos filhotes, sobre plantas, sobre a vida, etc.

Mas claro, também trocamos muitas figurinhas sobre as peças de vidro.

O Hélcio e a Beatriz não colecionam apenas carnival glass, e entre várias peças lindas de sua coleção, as uralinas chamam a atenção.

E para finalizar esse ano, que não foi fácil, o melhor é mostrar coisas lindas que alegram os olhos de todo colecionador.

E com a ajuda da Bruna, de seu marido Augusto, do Hélcio e da Beatriz, essa postagem está saindo nos últimos dias de dezembro!

Vamos começar com peças cujo padrão já conhecemos muito bem, lembrando que essas peças brilham pois na composição da massa vítrea era usado dióxido de urânio, normalmente na proporção de 2% da massa vítrea.

Compoteira Chumbinho, feita pela Esberard Rio.



Compoteiras Dragão e Gominho.



Duas Compoteiras Gregas, também Esberard.



Duas Compoteiras Iraci/Estrela, uma sem o prato de apoio.
Vamos ajudar o Hélcio com esse presentoir! Quem souber de algum sendo vendido, é só entrar em contato!



Lampiões!
Dois com pé alto e um palmatória.



Esses lampiões aparecem no catálogo da Esberard, sendo que os de pé alto em dois tamanhos diferentes.



Pratos de apoio avulsos, Grega e Dragão.
Olha que coisa!
O Hélcio vai precisar de mais uma compoteira Grega e uma Dragão nessa coleção!





Saleiro.
Eu acho saleiro uma peça clássica!
Pequeno, delicado, e lindo!
E esse saleiro do Hélcio também aparece no catálogo da Esberard.




Hoje, sabemos que a Esberard além de vidro prensado também fabricava vidro soprado cuja decoração era de forma lapidada.
É o caso dessa taça mais alta, cuja decoração aparece no catálogo.




A decoração da taça menor não aparece na página de decorações da Esberard, mas em outra página do catálogo encontrei um copo que parece possuir o mesmo desenho da taça.
Como a imagem está um pouco desfocada, fica difícil confirmar essa informação.
Opiniões são bem vindas!


Das três últimas peças, a uveira Amanda sabemos que foi feita pela Esberard, porém as duas manteigueiras são de origem desconhecida até o momento.



Essas manteigueiras são um show a parte!
O que eu disse sobre saleiros serem peças clássicas também se aplicam para as manteigueiras, são lindas!




A Bruna me disse que o Hélcio já andou aumentando a coleção, vamos esperar novidades!

Quero agradecer imensamente meus amigos Hélcio, Beatriz, Bruna e Augusto por dividirem conosco essas pequenas jóias.

E esse foi mais um ano!
Espero que todos tenham uma virada de ano segura, e feliz, e vamos desejar que em 2021 as coisas comecem a melhorar nesse mundo que foi tão estranho em 2020.

Fiquem todos bem, que venha 2021!