Translate

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Porcelana Real / Porcelain by Real

Já que estamos falando de porcelana, vamos a mais um jogo de pratos para bolo da marca Real.
Para quem queira começar uma coleção de pratos, eu acho a marca Real insuperável.
É impossível encontrar um prato dessa marca que não nos encante.

Pratos octavados.
O prato maior mede 26,5 cm de diâmetro. É um prato grande, não coube nas prateleiras do meu louceiro. Os pratos menores medem 19,0 cm de diâmetro.
Decoração floral cercada por uma guirlanda dourada.



A marca indicando que foi manufaturado na década de 1960
Algo interessante que identifiquei nesse conjunto é que o prato maior possui uma decoração central diferente dos pratos menores.
Repare como os pratos menores possuem menos flores que o maior:

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Faiança X Porcelana

Hoje quero falar sobre as diferenças entre faiança e porcelana, denominações que causam muita confusão.

Não sou técnico nem especialista, mas nessa parte posso dizer que as diferenças são a quantidade de caulim, mineral rochoso, usado na mistura com a argila, e a temperatura de cozedura da peça, a faiança é cozida em uma temperatura bem mais baixa do que a porcelana.

Para que queira saber mais  sobre essa parte técnica, Fábio Carvalho, estudioso da porcelana e faiança nacional, disponibiliza em seu blog, Porcelana Brasil, alguns textos sobre o assunto.

Mas, será que existe uma maneira mais fácil, para nós leigos, dentificarmos quando uma peça é faiança ou porcelana?

Sim, existe! E é muito simples.

Vamos a um exemplo usando três pratos de cerâmica importada:
O primeiro prato é um prato fundo fundo da marca Woods & Sons Ltd.


Repare que ele é um prato todo craquelado:

Quem olha, pensa "nossa é um prato muito antigo, pois a porcelana está toda craquelada..."

Agora vamos ver o segundo prato:
É um prato de sobremesa da marca francesa Limoges, uma das marcas de cerâmicas mais caras que existem.

Esse prato não aparece nenhum craquelado, seria um prato mais novo ou mais conservado?
Essa é a diferença entre porcelana e faiança, visível a nossos olhos.
A temperatura de cozimento da faiança é mais baixa do que a usada na porcelana, a consequência é que o esmalte da peça não funde com o material, ele fica como uma casca revestindo a cerâmica.
Sabemos que em todo material acontece o efeito da dilatação. Muito bem, a cerâmica e o esmalte da peça sofrem dilatações diferentes, conclusão, o esmalte craquela, dando esse efeito.

Já na porcelana, isso não ocorre.
Como a porcelana é cozida em temperatura bem mais alta, a peça e o esmalte se fundem, não existe a "casca" por volta da peça. Então, quando ocorre a dilatação, a peça não craquela.

Agora você vai me perguntar se a faiança tem menos valor que a porcelana.

A resposta é "não", uma faiança pode ser tão preciosa quanto uma porcelana.

Um único detalhe é que a porcelana é mais higiênica, claro, já que existem essas pequenas rachaduras na faiança, resíduos alimentares podem ser absorvidos pela peça.

Agora que você já sabe diferenciar faiança de porcelana, vamos para a terceira peça!

Lindo!

É um prato fundo da marca inglesa J. & G. Meakin. A decoração lembra uma louça portuguesa.


Agora é com você, é uma faiança ou uma porcelana?



sexta-feira, 15 de junho de 2012

É o arraial do Guaraná de Rolha!


Prato em vidro fogo / Carnival Glass Plate

Mais uma casca de cebola.
Se você não leu minha explicação sobre peças carnival glass, clique aqui para conhecer uma peça de Felton.
Repare que essa peça mostra muito bem a cor original do vidro..
O padrão presente na peça esta disposto na parte externa  e são 2  estrelas de seis pontas, a menor lembra uma estrela de Davi.

Consultando referências, não consegui identificar o fabricante, mas por ser um padrão mais simples creio que a manufatura não seja americana.

Mede cerca de 15 cm de diâmetro,
E, para terminar, o prato ao lado da fruteira, que já foi publicada neste blog.


quinta-feira, 14 de junho de 2012

Espingarda / Rifle

Apesar de eu não ser a favor de armas de fogo, tenho essa espingarda há anos. E por já estar com as partes de metal em estado bem duvidoso, ninguém se arriscaria em tentar fazer ela funcionar.


O mecanismo do gatilho.


A vareta de metal que servia para carregar a munição/pólvora.
Um passarinho que resolveu fazer ninho no cano da arma...
Os quadros são do artista Moro, e representam a cidade do Cerro, na minha querida Minas Gerais.