Translate

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Vasos Zappi

Vamos imaginar que uma pessoa, passeando por uma feira de antiguidades, encontre esse par de vasos sendo vendidos.
Dois vasos em pó de pedra. Cada um com, aproximadamente, 14,0 cm de altura e diâmetro máximo de 10,0 cm.
Decoração floral, pintado à mão, em azul com contornos dourados.



As flores contornam as peças.
O vendedor  diz que são vasos italianos da marca Zappi. Antigos, bem antigos, provavelmente década de 1920.
E claro que, sendo vasos italianos, o preço é bem camarada, R$ 200,00 o par.

A pessoa pensa, são italianos, antigos, preço bom, e compra feliz da vida!
Quando chega em casa, vai procurar na internet mais informações sobre a Zappi, e acaba descobrindo que os vasos são brasileiros, da Indústria de Louças Zappi S.A. e que devem ter uma datação entre as décadas de 1940 e 1950 e que poderia ter pago bem menos pelos vasos. (apesar que a marca Zappi é uma das marcas mais caras de louças brasileiras)

...
Parece brincadeira? Mas não é.
Já comentei aqui sobre o cuidado que devemos ter com certos vendedores e, principalmente, desconfiar quando dizem que alguma peça é Inglesa, Italiana, Polonesa...
E uma coisa vou falar para vocês, isso realmente acontece. Weiss  e DP sendo vendidas como alemãs, Zappi como italiana e por aí vai.

Repare que a peça não possui a identificação de origem.

Pois bem, vou falar um pouco sobre essa identificação.

Em 1890, o então presidente dos Estados Unidos, William McKinley, determinou através de um ato que todos os produtos que entrassem nos Estados Unidos deveriam estar identificados com o nome do país de origem.
Isso geraria uma tarifa de importação sobre esses produtos deixando-os mais caros que os produtos feitos pelos americanos, ou seja, os produtos americanos seriam mais fáceis de serem comercializados.

Hoje em dia essa identificação facilita a vida de colecionadores, por exemplo, de louça inglesa, que era muito exportada para a América.

Se você comprar um prato, e disserem para você que é um prato inglês de 1920, e esse prato não tiver o nome "England" gravado nele, pode cair fora, o prato não é inglês!

Em 1921 esse ato foi alterado dizendo que o nome do país de origem de produtos de importação dos EUA deveriam estar precedidos das palavras "Made in".

Vale dizer que algumas indústrias já usavam o "Made in" antes mesmo dessa lei.

E no Brasil? Bem no Brasil muitas indústrias produziam sem a intenção de exportação. Por isso encontramos esse par de vasos Zappi, sem identificação de origem, produzidos entre as décadas de 1940 e 1950

Como eu digo, caso tenha dúvidas sobre uma peça, sua origem, sua datação, pergunte para alguém com mais experiência e, não compre por impulso.

Muito bem, e para terminar (acho que me empolguei um pouco demais), aqui em Curitiba temos as feiras de rua. São feiras pequenas, algumas com no máximo 10 barracas vendendo frutas, verduras, embutidos...

E essas feiras possuem uma característica que eu sempre gostei e que me faz acordar cedo em um domingo para fazer compras na feira.

Grande parte dos vendedores moram em propriedades rurais, e acabam produzindo muitas das coisas que eles  acabam vendendo.
Frutas variadas, feijão amendoim, alfaces de diversos tipos, conservas, etc.

Agora, o que é bem curitibano, é que quando chega a primavera eles começam a produzir e vender flores.

Vários tipos de flores!

Dálias

Bocas de leão de todas as cores.

Palmas, copos de leites, margaridas...
Depois de um inverno onde normalmente temos as geadas que acabam queimando as plantas, deixando tudo em tom de marrom, é o momento que sabemos que tudo será renovado... é uma sensação muito boa.

Fica fácil decorar a casa com vários tipos de flores gastando pouco. Os buquês custam de R$ 2,00 a R$ 6,00.

E eis meu São Francisco, com suas margaridas nos vasos Zappi.

Acabaram as férias!

Foi bom enquanto durou.
Mas está na hora de voltarmos ao trabalho, aos estudos, à academia... e ao Do Tempo Do Guaraná de Rolha!

Espero que ao longo desse ano eu possa trazer muito mais novidades!

Já estou com umas idéias...

Queria contar para vocês uma coisa.

Já faz um bom tempo, acho que quase 1 ano, que resolvi que queria um filtro de água.
Já estava cansado desses galões de água comprados no disk-água. Além de anti-higiênicos, é chato ter que ficar ligando, pedindo o galão, dando endereço, ficar aguardando a entrega (e haja paciência para isso), limpando o galão, etc, etc.

E tinha que ser filtro, não podia ser talha pois essa iria exigir um purificador, e eu não queria isso.

Então, qual filtro comprar?

Decidi que queria um filtro de água em louça, porcelana.

Começou minha busca, e angústia. Nenhuma loja de utensílios para cozinha tinha o tal filtro. Muitas vendedoras nem sabiam do que eu estava falando quando eu começava a detalhar o filtro.

Fui fazer uma busca pela internet. No Mercado Livre até tinha alguns, mas eram muito caros e a maioria possuía quebrados ou trincados.

Comecei a vasculhar as fábricas de porcelana. Enviei e-mails para várias, cheguei a telefonar para muitas.
Nenhuma tinha o filtro de porcelana e não sabiam quem produzia essa peça.

Já estava meio desanimado, achando que teria que continuar com os galões de água, ou comprar um purificador, ou um filtro de barro.

Neste último sábado, precisei ir até Colombo, uma cidade da região metropolitana de Curitiba, E na beira da via rápida tinha uma lojinha com o sugestivo nome de "Trecos e Tarecos".

Parei na loja, e eis que
Um filtro simples, sem nenhuma decoração, sem partes em relevo, mas era O FILTRO que eu queria!

Fico pensando, como pode uma peça, que não é tão antiga assim, ser tão difícil de encontrar?
E mais ainda, existem pessoas que nem sabem o que é um filtro!

É branquinho, branquinho... não possui nenhuma marca de uso, até a borracha que veda a torneira está limpa! Só estavam faltando as velas para filtragem da água. Mas já ao sair da loja, passei em uma loja de ferragens e comprei as velas, que são fáceis de encontrar pois ainda existem para venda os filtros de barro.

Utiliza duas velas.
Não possui a marca do fabricante, existe uma gravação dizendo para usar velas Pozzani.
A Indústrias Francisco Pozzani, indústria de Jundiaí-SP, fabricava velas para filtros desde 1934, além de também fabricar outros artigos. Mas nada indica que o filtro seja Pozzani.
Em 2002 a Pozzani foi  vendida e recebeu uma nova razão social, Indústria Brasileira de Artefatos Cerâmicos - Ibac Ltda.
Portanto esse filtro é de 2002 ou anterior a ele.
Ah, e paguei apenas R$ 40,00 por ele. E valeu a pena.

ATUALIZADO EM 19/05/2013

Meu querido amigo Bruno Garcia que mora em Uberaba, Minas Gerais, na minha opinião, um dos estado mais lindos do Brasil, me mandou uma foto do filtro que ele tem.
É o mesmo filtro que eu consegui comprar aqui em Curitiba, com um pequeno detalhe, as flores, que deixaram o filtro muito mais bonito.
Meu querido amigo, um grande abraço!


ATUALIZADO EM 23/03/2016

Bartolozita Brígida, de Belo Horizonte, Minas Gerais, é admiradora de antiguidades e acompanha o Do tempo do Guaraná de Rolha.
Ela me enviou fotos da talha de água que ela possui.
Marca Nara, decoração de cestaria.
O interessante dessa talha é que ela possui uma bóia.
Dessa forma, não é necessário ficar verificando se ela está com água, se é necessário abastecer.




Obrigado por compartilhar sua peça conosco Bartolozita.
Uma peça muito bonita, interessante e prática!